O Brasil vive momentos bastante preocupantes na sua política nacional

O Brasil vive momentos bastante preocupantes na sua política nacional

Na eleição para presidente o candidato que lidera sem a participação de Lula não participa de debates, não tem plano de governo e muda de opinião sobre o Bolsa Família que para ele era coisa de vagabundo. Ele também nega que apoiou a intervenção militar, mas elogia a tortura.

Por fora, ainda sob fogo amigo da esquerda que insiste em não apoiá-lo por birra, Ciro Gomes vem conseguindo apoios importantes como o PSC e do PCdoB. O crescimento de Ciro é esperado, mas ainda paira a incerteza em relação ao apoio do partido de Lula que prefere correr o risco de ver o país nas mãos de um inexperiente gestor do que buscar um entendimento que possa pelo menos livrar o país do saque que está sendo vítima.

O governo Temer continua a entregar o pré-sal de forma escandalosa. Em dois anos do golpe, o governo Temer já realizou cinco leilões de petróleo, onde entregou às multinacionais áreas preciosas do Pré-Sal, enquanto o povo brasileiro é obrigado a pagar preços absurdos pela gasolina, diesel e gás de cozinha. Considerada a maior descoberta de petróleo da atualidade, o Pré-Sal com pouco mais de dez anos de exploração, já representa cerca de 55% de toda a produção brasileira. Somente um poço produz em média 50 mil barris por dia, o que representa 63% de toda a produção da Itália e 35% da Dinamarca. Muitos países sequer conseguem produzir a quantidade que um único poço do Pré-Sal produz. Ontem mais um campo foi leiloado a preço de banana com o barril saindo a R$0,26 centavos de reais.

Um dos mais respeitados gestores do mercado financeiro, Rogério Xavier fez uma projeção apocalíptica em um evento em São Paulo: o dólar pode disparar para a casa dos R$5,30. E dólar alto quer dizer gasolina ainda mais alta, pois a política de preços da Petrobrás não mudará para quem tem carro à gasolina.

O Brasil que o próximo presidente irá receber será um país afundado em dívidas e com um orçamento  51% comprometido para pagar juros a bancos e a educação e a saúde com valores congelados por 20 anos.

Não bastasse isso a população que foi manipulada a apoiar um golpe que ela acabou sendo vítima está apática, paralisada e sem qualquer capacidade de reação. Todo mundo parece que está tomando remédio tarja preta tamanha a depressão.

Enquanto uns tentam ajudar outros teimam em atrapalhar. Os ministros di STF estão gastando centenas de milhares de reais para ter sala exclusiva para eles no aeroporto de Brasília com medo de serem agredidos pela população.

O Brasil que o próximo presidente irá pegar terá mais miseráveis, mais mortalidade infantil e com a criminalidade em crescimento ainda teremos a seletividade em voga de que os ladrões de colarinho branco estarão soltos ou reeleitos, enquanto o desemprego deverá bater a casa dos 15 milhões de desempregados, pois fracassou a reforma Trabalhista.

A lavajato sumiu do mapa da mídia e está mais preocupada em se esconder das denúncias do advogado Tacla Duran que acusa a operação de venda de redução de sentenças. Tempos estranhos e depressivos. Gilmar solta todo mundo que tem algo a esconder e que poderia falar.

A Petrobrás sendo desmontada, a Embraer sendo vendida à Boeing e o nosso sistema elétrico, leia-se água sendo entregue a estatais estrangeiras.

Você pergunta se eu ainda tenho esperança? Sim. Tenho. Que pelo menos uma vez o Brasil mostre que tem um povo que pode definir seu destino no rumo do crescimento em vez de ficar sentado à beira do caminho esperando a morte chegar.

Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos. E não esqueçam que para que mal prevaleça, basta que os bons, aqueles que podem mudar tudo isso, não façam nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.