Dia Mundial da Água: O Ouro Azul – É preciso água para produzir tudo!

Dia Mundial da àgua

Para produzir cinco mil chips de 32MB, cada um pesando 2g, são necessários 16 mil litros de água, no total. “-Isso tudo?” Perguntei.

Eu não me considero um ecochato e abomino toda a forma de radicalismo e extremismo, mas vez ou outra eu costumo me permitir mergulhar em alguns problemas para poder entender, sob vários aspectos, as possíveis consequências que podem tomar grandes proporções. Um deles é o meio-ambiente. Neste caso em particular, a água.

Duas situações me fizeram olhar com mais carinho para algumas ameaças silenciosas.  Autoridades debateram por vários dias e chegaram a conclusão que a elevação do consumo e o aquecimento global são os dois maiores fatores de risco para um problema que pode gerar grandes conflitos. No início tivemos a Guerra do Fogo, depois veio a Guerra do Petróleo e a crise da falta de alimentos que está ligada a outro grave problema: a possível escassez de água.

Conheço bem o Nordeste e já viajei bastante pelo interior desta região e por boa parte do Brasil. Conheço um pouco sobre o problema da falta, do desperdício e do racionamento de água. Fiquei curioso por saber quanto se gasta de água para produzir alimentos e tecnologia e os resultados não me animaram muito.

Mergulhando mais fundo, depois de números e mais números, estudos e mais estudos, muita informação boa e outras tantas exageradas e apocalípticas; bem depois de tudo isso, cheguei a conclusão de que para produzir e reproduzir qualquer coisa neste mundo precisamos de água, portanto, cuidar bem dela seria a primeira causa de preservação ambiental.

Há um rico material disponível na internet sobre o tema, postado sob as mais diversas visões ambientais e humanitárias. Quero me deter na parte que trata do consumo virtual da água. O conceito de consumo virtual de água é o que trata da quantidade de água envolvida em toda a cadeia de produção de algum produto. Assim, no ato do uso, o indivíduo está consumindo também a água que foi usada como matéria-prima, na fabricação, no resfriamento das máquinas na indústria, na alimentação etc. De acordo com levantamento do Conselho Mundial da Água (CMA), cada quilo de pão utiliza 150 litros de água para ser produzido. Para cada quilo de batata, são utilizados entre 100 e 200 litros de água. Para produzir a mesma quantidade de arroz são necessários 1,5 mil litros. A carne de boi consome entre 13,5 mil litros e 20,7 mil litros de água por quilo produzido.

Menos de 1% da água doce do planeta está disponível para o consumo. Porém, nadando um pouco mais neste mar de informação cheguei ao Brasil e pude constatar que moramos no país mais rico em água doce do planeta. Nada menos que 13,7 % de toda água do mundo está aqui. O Pantanal, no Mato Grosso do Sul (e parte no Mato Grosso), é a maior área úmida continental do mundo e que a Amazônia abriga as mais extensas florestas alagadas do planeta.

Proteger e saber usar a água é uma prova de saúde.

Passando para o lado da saúde pública pude descobrir que 70% das internações hospitalares do Brasil são causadas por doenças relacionadas à água e que em todo mundo, cerca de 10 milhões de mortes anuais resultam de doenças intestinais transmitidas pela água. No Brasil 40 milhões de pessoas não têm acesso a água e em São Paulo, 70% da poluição das águas é de origem doméstica e 30% de origem industrial. Sobre o índice de desperdício de água no Brasil, o dado de que 40% são perdidos entre a produção e os domicílios, assusta.

Com a finalidade de segurar essa água que corre solta pelo mundo em forma de desperdício educar e orientar a população de forma lúdica, sensibilizando-a sobre a importância da sustentabilidade, da preservação da água enquanto recurso natural e a importância do saneamento básico é que nasceu no Ceará o programa PROVA DE SAÚDE. O Prova de Saúde entra no seu segundo ano e  é patrocinado pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), em parceria com o Governo do Estado – Secretaria das Cidades e realização da Garis Produções Artísticas.

Na sua primeira edição em 2010, o Prova de Saúde realizou 131 intervenções em 87 locais, entre escolas e praças, para 59.284 alunos de escolas e público em geral de: Fortaleza, Caucaia, Pacatuba, Maranguape, Aquiraz, Maracanaú, Eusébio, Guaiúba, Chorozinho, Itaitinga, Pacajus, Horizonte, São Gonçalo do Amarante e Cascavel.

Ciclo

Ao todo o projeto contemplara, na sua segunda edição, 140 intervenções teatrais e irá envolver escolas, empresas e a população, pois o programa também acontece nas praças públicas de Fortaleza e de outros 21 municípios cearenses. Além das intervenções, o Prova de Saúde disponibiliza um site de jogos interativos com a temática do saneamento (www.provadesaude.com.br) e o Concurso de Redação para premiar público em geral, estudantes, professores e escolas vencedoras com equipamentos de informática.

Para quem pensava que as pessoas não se ligam em água, basta ver os números referentes a participação do projeto. O site do Prova de Saúde é um canal de pesquisas e um ótimo banco de informações sobre meio ambiente e sustentabilidade. Desde a sua primeira versão ele recebeu cerca de 13.238 visitas, cerca de 5.139 pessoas participaram de um Quizz  e de um concurso de redação com o tema “Água tratada e esgotamento sanitário: Saúde para a família e respeito ao meio ambiente” que recebeu 1.095 redações.

No Brasil a água de torneira é extraída do subsolo e em algumas cidades, a que sai da torneira tem características de minerais. Um quarto da água engarrafada em todo o mundo é consumida fora do país de origem e o transporte geralmente se dá por caminhões. Cerca de 75% da água produzida é consumida regionalmente. Este mercado também ajuda a poluir, pois uma grande parte da água consumida em garrafas gera lixo plástico que vai parar nos lixões sem qualquer tratamento ou reciclagem. Isso torna a água o bem mais valioso do mundo, pois sustenta a vida e tudo que se produz precisa de água, portanto protegê-la é uma prova de saúde para si e para todo o planeta.