VIDA MODERNA: No BBB da vida real a estrela é você!!!

O que você faz na sua vida privada é problema seu… certo? Era! Não é mais! O mundo com o advento das novas tecnologias e desde que a maioria dos celulares fabricados vem com pelo menos uma câmera fotográfica e outros tantos com filmadoras, a sua vida privada agora é pública. As pessoas esquecem-se disso e resolvem sair por ai fazendo o que bem entendem e depois, alguém filma e fotografa, coloca no YouTube, os problemas aparecem e processo vai, processo vem e na maioria das vezes nada acontece, pois a ação se deu em via pública e o material publicado não tem fins lucrativos. Está feita a confusão!

Muitos acreditam que estão fazendo alguma coisa escondida. Certa vez, foi informado por um delegado de polícia do Estado de São Paulo, que uma pessoa comum é filmada em pelo menos 5 lugares diariamente. Se ela saiu de casa para o trabalho pode-se ter até 9 filmes dessa pessoa passando por vários lugares. Basta ter uma idéia do horário e do trajeto. Ou seja: o Big Brother Brasil é maior que os limites do muro do programa.

O Youtube hospeda mais de seis milhões de vídeos, e cresce cerca de 20% ao mês. Os vídeos ocupam 45 terabytes de armazenamento-capacidade de aproximadamente 5 mil computadores usados em casa. O total de tempo que será gasto se você resolver assistir a todos os vídeos do Youtube, desde que iniciou as atividades, é de 9.305 anos!Mas quem pensa que as pessoas não gostam de aparecer e de dar satisfação das suas vidas é só ver o crescimento do Twitter – o SMS da internet registrou em novembro de 2008, cerca de 4 a 5 milhões de usuários. Em maio de 2009, um estudo analisou mais de 11 milhões e meio de contas de usuários e não pára de crescer.

O Orkut, um dos campeões de processos por quebra de privacidade, reage sempre dizendo que o fato dos usuários estarem em uma rede social, aberta e pública, coloca certos tipos de comportamento sob elevado risco de exposição. Exagero ou não, a questão é bem maior que apenas o mau comportamento de alguns dos usuários das redes sociais.

Decidi dar uma conferida na minha rotina diária e ver se realmente era verdade a estatística do delegado paulista. Fiz meu trajeto de casa para o trabalho, hora do almoço e retorno. Saí de moto. Bom, na saída do condomínio o primeiro registro. No caminho passei por dois cruzamentos com câmeras de monitoramento de trânsito. Mais à frente parei para abastecer. No posto as câmeras registraram minha chegada, a entrada na loja de conveniência e um saque efetuado no caixa eletrônico. Em seguida a minha saída. No caminho mais dois cruzamentos com câmeras que se movimentam em um eixo motorizado. Minutos depois a chegada ao estacionamento da empresa e daí por diante o dia de trabalho estava sendo gravado. Chegada a hora do almoço, no restaurante li o aviso-“Sorria, você está sendo filmado”. De volta ao trabalho meu dia continuava sendo filmado. Mais tarde peguei o caminho de volta e novamente as câmeras do trânsito registravam uma parte do trajeto. Em alguns pontos percebi que vários condomínios possuíam câmeras apontadas para a rua e com certeza algumas delas pegaram minha passagem. Minutos depois estava em casa. Tudo registrado em um enorme ‘Big Brother Fortaleza-Eusébio’.

Se já era cuidadoso, depois disso passei a me conscientizar que saindo da porta da minha casa estaria sendo filmado e com certeza deveria ter mais cuidado inclusive em lugares onde a primeira vista não havia nenhuma câmera de segurança. Mas não é apenas isso. Depois da entrada no mercado dos celulares com câmeras que filmam e fotografam, percebi que eu poderia estar sendo filmado sem saber e sem ser para a minha segurança. Por exemplo, se bebesse mais do que o permitido pela razão e aprontasse alguma poderia ter minha diversão registrada e publicada no YouTube.

Um tio meu me confidenciou, muito chateado, que uma conversa sua com outro engenheiro estava sendo gravada pelo celular sem que ele soubesse. Suas opiniões estavam sendo registradas para serem usadas sabe-se lá onde. São vários os casos de namorados que gravam seus momentos íntimos e quando brigam colocam as imagens na web. Diversão, depois da entrada de tanta tecnologia, passou a ser coisa séria. Tão séria que pode destruir a imagem, o emprego e colocar muitas pessoas sob o manto do julgamento moral (falso moralismo ou não) de uma sociedade que adota o preconceito como tempero maior do balizamento do comportamento alheio.

Ultimamente as câmeras escondidas têm denunciado falcatruas de toda ordem e uma canetinha tem perturbado a vida de muitos empresários ao ponto de pedirem que quando em reunião coloquem suas canetas nas pastas e usem lápis ou canetas com a marca da empresa e, que, os celulares sejam desligados e colocados à mesa. Tudo isso para evitar que segredos comerciais ou negociatas vazem.

As pessoas às vezes esquecem estes pequenos detalhes e é por causa destes pequenos detalhes que a vida de muita gente pode mudar. “Detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas muito grandes para esquecer.” A frase, da música Detalhes, de Roberto Carlos não poderia ser tão atual se estes detalhes foram filmados e colocados no YouTube ou em um site de relacionamento.

Uma professora de ensino fundamental, de 28 anos, foi demitida após um vídeo em que ela aparece dançando sensualmente ao lado de um grupo de pagode, em Salvador, cair na internet. As imagens foram registradas,em meados de junho deste ano, por várias pessoas que estavam na plateia de uma casa noturna e usaram câmeras de celular.

Foi assim que aconteceu o mais bombado flagrante postado no YouTube. O ‘flagrante’ aconteceu durante uma apresentação do grupo de pagode O Troco, que costuma convidar as espectadoras para subir ao palco e fazer a coreografia da música “Todo enfiado”. O vídeo já teve mais de 100 mil acessos.

A professora é formada em pedagogia e faz pós-graduação na área e ministrava aulas de alfabetização para crianças de 5 anos em uma escola particular da capital baiana. Após a divulgação do vídeo na internet, ela disse que passou a sofrer retaliações no bairro onde morava, mudou de endereço e agora está na casa de familiares, depois de demitida. A filha de 7 anos da professora, que estudava na mesma escola em que a mãe trabalhava, teve de parar os estudos. Na realidade a demissão foi um acordo realizado entre a escola e a professora que, em face do ocorrido, ficou sem clima para continuar lecionando. A escola informou que está dando todo apoio psicológico a ex-funcionária.

Antonio Leite Matos, advogado da educadora defende que a sua cliente “não cometeu crime algum. Minha cliente estava em um momento de lazer e não fazia ideia de que as imagens da coreografia fossem parar na internet.”

Aqui está o problema: não fazia ideia! Os cuidados com a imagem precisam ser redobrados. Algumas empresas chegam ao absurdo de fuçar orkuts e YouTube quando estão em processo de seleção e muitos candidatos são retirados da lista antes de serem contratados.

Não há limites e nem regras. Há câmeras. Há uma frase que diz que não é o que você é por dentro que te define, mas o que as pessoas vêem você fazendo. Em um filme a frase-título perguntava “O que você faz quando ninguém está vendo?” Este título hoje eu mudaria para “o que você faz quando ninguém está te filmando?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.